Super descoberta: um universo paralelo espelho onde o tempo volta?!

Quem sou
Judit Llordes
@juditllordes
Autor e referências

Existem esses debates que separam o cientistas em dois clãs: os que se aborrecem porque não é possível, acreditando ter feito o descoberta do século, e aqueles que permanecem cautelosos – até céticos – sobre uma descoberta monumental. Bem no tipo de debate que gostamos! É assim que aprendemos queum universo paralelo, onde o tempo retrocede em vez de avançar, foi descoberto na Antártida...


 


É desde 2006 que uma equipe de cientistas realizando alguns testes na Antártida teria feito essa descoberta inesperada e espetacular (exceto para os fãs da série de TV Stranger Things, talvez). Então, essa equipe começou a publicar suas primeiras observações em 2016. Por que quatro anos depois, em 2020, de repente ouvimos falar disso? Bem, porque não! Muda um pouco nossas ideias sobre o contexto atual do COVID-19, não é mesmo?


 

Os fatos, apenas os fatos (realmente?)

Para os propósitos do caso, não temos realmente a opção de entrar em explicações científicas, isso é óbvio, mas também de abordar alguns termos técnicos mais complexos. Vamos tentar deixar isso claro:

  • De fato, um experimento parcialmente financiado pela NASA (sim, sim, ninguém menos que a NASA) e que leva o nome de ANITA (Antarctic Impulsive Transient Antenna) teria detectado vestígios do que poderia ser a passagem de neutrinos passando pela Terra . O que são neutrinos? Partículas que podem passar por quase qualquer material e raramente interagem. Até agora, como você está?
  • Quando os neutrinos são produzidos por explosões no universo em um nível extremamente poderoso, eles podem possuir muita energia, o que pode aumentar a probabilidade de interagir com a matéria normal.
  • Bem, o ANITA foi configurado exatamente para detectar os sinais produzidos quando neutrinos de alta energia colidem com o gelo. Então, seguindo essa "lógica" científica, os neutrinos de alta energia do planeta Terra não deveriam existir, essas partículas deveriam vir do espaço (ou do cosmos, se você preferir). Então, no caso de terem atravessado a Terra, essas partículas teriam que interagir com a matéria antes de sair do outro lado.

 


São essas pequenas anomalias – vamos chamá-las de curiosidades – que vieram para soar o alarme de muitos outros cientistas. Muitos chegaram assim à surpreendente conclusão de que as partículas não podem ter atravessado a Terra, então se parecem emergir dela, é porque voltam no tempo e evoluem em um universo paralelo, francamente “espelho” ao nosso!


 


Bem-vindo a um mundo de cabeça para baixo

Como resultado, alguns neutrinos se comportariam completamente "de cabeça para baixo", mas não de cabeça para baixo no espaço, no tempo. Como se ali, neste outro mundo, o tempo estivesse retrocedendo e não avançando...

 

Universo paralelo ou não: os cientistas discordam. O que isto significa? Que é melhor evitar entrar em pânico. Por outro lado, concordamos que a noção de um universo espelhado paralelo ao nosso é bastante brilhante, obrigado! Vamos apostar que as coisas não vão parar por aí… Essa teoria, por mais controversa que seja, é fascinante demais para ser abandonada no meio do caminho.


Via GIPHY

(fontes: newscientist.com, leparisien.fr, journaldugeek.com e fredzone.org)

Adicione um comentário do Super descoberta: um universo paralelo espelho onde o tempo volta?!
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.