forcardslovers.com

Proteção ao usuário

Quando pensamos em vícios, geralmente pensamos em álcool, drogas ou tabaco, mas há muitos outros, talvez menos conhecidos, mas não menos importantes. Algumas delas, como a Carthomania, são as chamadas vícios "comportamentais".

Um tópico importante é o vício Carthomania, um consultório de psicólogos explicará o que é o vício, o que torna o Tarô tão viciante e quais fatores podem contribuir para o seu desenvolvimento.

A psicóloga Melania Pérez comenta que o vício do tarô é comportamental, ou seja, sem qualquer substância intermediária, como o jogo, o sexo ou o vício da Internet. Tem todas as características do vício: o viciado não pode parar de usar, a ausência deste estímulo o faz sentir-se só, e desistir provoca sintomas de abstinência. Além disso, também resulta no uso excessivo de tempo ou dinheiro e na perda de relacionamentos sociais e atividades diárias.

Esta dependência ocorre geralmente em pessoas entre 30 e 60 anos e é mais comum nas mulheres do que nos homens. O problema é que a consciência da doença vem mais tarde, por vezes até 10 anos após o início, e o tratamento é frequentemente procurado muitos anos mais tarde. É errado pensar que este é um vício "legal", que o aconselhamento psicológico não é proibido e que o bombardeamento das ofertas na mídia e na Internet é constante. Em alguns círculos, é normal fazer cartomantes ou "tubarões de cartas". Tudo é incrivelmente acessível, basta pegar no telefone e fazer uma chamada. Não temos que sair de casa para levar a nossa dose ou carregar dinheiro connosco, não nos apercebemos das despesas reais que estamos a fazer até que a conta chegue no final do mês. Mas quando finalmente tomamos consciência do nosso vício, sentimos uma vergonha ao pensarmos em reconhecê-lo, o que aumenta a cada dia e atrasa ainda mais o reconhecimento do problema pelo público.

Finalmente, o médico diz que qualquer actividade realizada dentro de margens saudáveis ou razoáveis não constitui um perigo para ninguém.


Falemos agora do vício do jogo online, que tem vindo a aumentar nos últimos tempos. As apostas desportivas e jogos de azar (principalmente roleta e poker) estão cada vez mais acessíveis através de telemóveis e computadores, que podem ser acedidos 24 horas por dia, fazendo apostas a baixo custo, levando os adolescentes e jovens adultos a acreditar que o risco é mínimo.

O vício do jogo, jogo patológico ou jogo patológico é uma doença ou desordem reconhecida pelaOrganização Mundial de Saúde em que ocorre um comportamento "persistente e recorrente de jogo problemático", resultando em prejuízo ou desconforto clinicamente significativo.

Embora o jogo patológico seja um vício sem substância, as pessoas com jogo patológico têm as mesmas características que um viciado:

Repetição de um comportamento ou acção que seja agradável e que aumente a sua frequência para alcançar os efeitos desejados. Vários produtos químicos, tais como dopamina e endorfinas, actuam como estimulantes e reforçam o comportamento patológico.

Perda de controle da pessoa devido à falha dos mecanismos de inibição comportamental do cérebro.

Aparência de abstinência se o hábito for interrompido.

A psicóloga Susanna Petri afirma que o perfil da maioria é mais velho, com homens entre 18 e 30 anos de idade. No entanto, eles também detectam casos de menores de idade: "Os menores de idade não são a maioria, mas há, e sobretudo, o que representa o perigo real, não há medidas suficientes para conter o acesso de menores à criação de uma conta de poker online", adverte ela.

Gabriel Pozuelo concorda que "geralmente são jovens entre 18 e 35 anos, que vêem o jogo como uma forma de ganhar dinheiro". No entanto, ele assegura que no seu centro viram "jovens até aos 15 anos de idade". Eles vendem contas online já estabelecidas com identificação".

O vício do tempo online e os tipos de jogo são determinados pela forma de jogo:

- Caça-níqueis

- Jogos de azar

- Jogos de role-playing

Os serviços psicológicos em Valência informam que o tratamento psicológico pode ser realizado, no qual os comportamentos positivos são reforçados e os comportamentos negativos do paciente são suprimidos. Um controle externo com apoio familiar pode ser estabelecido, uma vez que não há controle interno, bem como uma limitação dos montantes gastos. Além disso, o jogo substitui as deficiências, por isso na terapia certos factores precisam de ser reforçados, tais como capacidades sociais ou auto-estima, para dar ao paciente o pilar que lhe falta e que ele ou ela encontra, de alguma forma, no jogo.